loading...

Dúvidas frequentes

 

 

Quais produtos e serviços estão disponíveis no Sicoob Coopjus?

 

O Sicoob Coopjus oferece os mesmos produtos e serviços disponíveis nos bancos, porém, com muito mais vantagens. São eles: conta corrente, débito automático de contas, cartões de crédito e débito, Internet Banking (SicoobNet), seguros, serviços de autoatendimento, recebimento de contas (carnês, consórcio, contas de água, luz, telefone, INSS etc), DOC, TED, movimentação por cheques, aplicações financeiras e poupança.

 

 

 

Quais são as vantagens e benefícios do Sicoob Coopjus em relação a um banco?

 

Na Cooperativa, o cooperado não é apenas um cliente - é chamado de associado porque também é dono do negócio. Por isso, ele tem acesso a produtos e serviços financeiros com juros e tarifas menores, além de receber um tratamento personalizado. O Sicoob Coopjus é administrado por associados, contribui para o desenvolvimento local por meio da retenção e aplicação dos recursos de poupança e renda entre os cooperados, além de promover a divisão dos resultados financeiros ao final do exercício.

 

 

Quem pode se associar ao Sicoob Coopjus?

 

Podem se associar ao Sicoob Coopjus os servidores do poder judiciário e das instituições jurídicas da união (TRE, TRF, STM, MPU, AGU, DPU, TCU e CGU em Minas Gerais) e seus familiares diretos (pais, filhos e cônjuges).

 

 

Como faço para me associar ao Sicoob Coopjus?

 

Para associar-se ao Sicoob Coopjus e ter acesso às vantagens exclusivas é muito simples, basta preencher e enviar a cópia dos seguintes documentos:

 

  • Ficha de Associação e Autorização para Desconto em Folha. Clique Aqui para baixar
  • Ficha Cadastral. Clique Aqui para baixar;
  • Carteira de identidade e CPF;
  • Comprovante de residência (conta de água, luz, telefone ou verso do contracheque);
  • Contracheque recente;
  • Certidão de casamento, se for o caso

 

 

Quem faz a gestão da Cooperativa?

 

A administração  da Cooperativa são exercidas por cooperados escolhidos pelos próprios cooperados por meio de três órgãos sociais:  Conselho de Administração e Diretoria Executiva. Estes órgãos que se reúnem regularmente, pelo menos uma vez ao mês, para avaliação do andamento dos trabalhos.

 

  • Conselho de Administração: composto por cooperados eleito em Assembleia Geral com mandato de quatro anos. Tem a função de fixar a orientação geral e estratégica dos negócios, direcionar, homologar e monitorar os objetivos e políticas da Cooperativa, objetivando o bem-estar econômico e social dos associados e a perenidade da Cooperativa. Tem o dever de prestar contas aos associados sobre sua atuação.

 

  • Diretoria Executiva – atualmente é composta por três membros dentre os integrantes do Conselho de Administração eleito por seus pares, para um mandato de quatro anos. É de sua responsabilidade a implementação das diretrizes fixadas pelo Conselho de Administração, a consecução das metas e responder pelo desempenho da Cooperativa. Compete ainda a coordenação, direcionamento e acompanhamento da atuação da gestão executiva contratada.

 

Para dar execução à estratégia e aos projetos, a Cooperativa conta ainda com uma equipe de Gestão Administrativa composta por profissionais contratados no mercado para executar as atividades diárias e o atendimento das demandas dos associados.

 

  • Gestão Administrativa Contratada – composta por profissionais contratados no mercado que têm a responsabilidade pela administração do dia a dia da Cooperativa, pela execução da estratégia e das atividades operacionais de suporte e atendimento das demandas e do relacionamento com os associados. Dedicam tempo integral às atividades proporcionando dinamismo ao funcionamento da Cooperativa.

 

 

O que garante a liquidez da Cooperativa?

 

O que garante a liquidez da Cooperativa é sua postura conservadora na gestão dos recursos, proporcionando um baixo risco ao cooperado, associado aos bons resultado alcançados historicamente.

 

O risco de crédito da cooperativa é muito baixo, pois a maioria dos empréstimos concedidos é feita por meio de consignado em folha de pagamento.

 

 

Se a Cooperativa quebrar eu participo do prejuízo?

 

O conceito de cooperativismo determina que se há uma participação mútua entre os cooperados e a Cooperativa, o associado participa tanto dos resultados positivos (distribuição de sobras) quanto dos resultados negativos (se houver).

 

No entanto, deve-se considerar que, em uma Cooperativa sólida como o Sicoob Coopjus, essa é uma situação pouco provável de acontecer. Afinal, temos 27 anos de história e uma estatística de resultados sustentáveis ao longo deste período, contamos também com um patrimônio líquido de R$ 47 milhões e possuímos um público de atuação restrito aos servidores públicos do poder judiciário federal e aos seus familiares.

 

 

Qual o volume de recursos administrados pelo Sicoob Coopjus?

 

Atualmente o Sicoob Coopjus administra uma carteira com cerca de R$ 69 milhões em investimentos, R$ 53 milhões em patrimônio líquido e aproximadamente R$ 65 milhões em empréstimos.

 

 

O que é o FGCoop e como funciona na prática?

 

O FGCoop é o Fundo Garantidor do Cooperativismo de Crédito, uma associação civil sem fins lucrativos, com personalidade jurídica própria, de direito privado, de abrangência nacional, regulamentado e fiscalizado pelo Banco Central do Brasil.

 

O FGCoop permite recuperar os depósitos ou créditos mantidos nas cooperativas singulares de crédito e nos bancos cooperativos até o valor de R$ 250 mil por CPF ou CNPJ, em caso de intervenção ou liquidação extrajudicial.

 

 

Por que a Cooperativa consegue pagar um percentual tão atrativo do CDI?

 

Porque os recursos movimentados pelo Sicoob Coopjus não são captados no sistema financeiro bancário, mas sim entre os próprios cooperados. Desse modo, é possível reinvestir os recursos entre o próprio grupo, na estrutura da Cooperativa, fomentando linhas de créditos mais atrativas e rentabilizando da melhor forma possível os recursos investidos pelos associados, que são os verdadeiros donos do negócio.

 

 

Por que a Cooperativa é ligada ao Sicoob?

 

O Sicoob Coopjus se filiou ao Sistema Sicoob com o intuito de incrementar a gama de produtos e serviços oferecidos aos associados, ampliando a capacidade de atendimento, buscando uma padronização dos sistemas e processos e, sobretudo, melhorando a qualidade dos serviços prestados.

 

 

Quem fiscaliza a Cooperativa?

 

O Sicoob Coopjus é auditado e fiscalizado pelos seguintes órgãos:

 

  • Conselho Fiscal do Sicoob Coopjus (conselho imparcial formado por cooperados servidores dos órgãos atendidos pela Cooperativa);
  • Confederação Nacional de Auditoria Cooperativa (CNAC); e
  • Banco Central do Brasil (BC).

 

 

Quem gerencia os recursos captados pelo Sicoob Coopjus? De que forma esses recursos são tratados?

 

Os recursos captados pelo Sicoob Coopjus são prioritariamente investidos na própria Cooperativa, por meio de empréstimo consignado, cartão de crédito, cheque especial, valorizando, assim, a classe dos servidores públicos do poder judiciário federal.

 

Os recursos excedentes que ficam sob a gestão do Sicoob Coopjus são gerenciados pela Central das Cooperativas de Economia e Crédito de Minas Gerais (Cecremge), que, por sua vez, busca rentabilizar este capital aplicando em fundos de investimento e títulos públicos federais, destacando que todas estas aplicações são operações conservadoras, de modo que não há exposição dos recursos em papéis de alta volatilidade, como os de renda variável.

 

 

 

Em caso de falecimento do cooperado, quem recebe seu capital?

 

Nos casos de falecimento, os herdeiros de associado falecido terão o direito de receber os valores das quotas-partes do capital integralizadas, acrescidas dos respectivos juros, quando houver, das sobras que lhe tiverem sido registradas, ou reduzida das respectivas perdas e demais créditos existentes, atendidos os requisitos legais, apurados por ocasião do encerramento do exercício social em que se deu o falecimento, em até 24 parcelas mensais e consecutivas.

 

Desse montante, a Cooperativa poderá promover a compensação prevista no artigo 368 da Lei 10.406/02, entre o valor total do débito do associado, referente a todas as suas operações, e seu crédito oriundo das respectivas quotas-partes. Registre-se que a devolução das quotas-partes será realizada após a aprovação, pela Assembleia Geral, do balanço do exercício em que se deu o desligamento do associado.

 

  

 

Dúvidas sobre produtos e serviços

 

Sicoobcard (Cartões)

Sicoob Consórcios

Previdência Complementar (Sicoob Previ)

SicoobNet (Internet banking)

 

 

Como faço para enviar o meu currículo para o Sicoob Coopjus? 

 

Basta enviá-lo através da opção Trabalhe conosco.